SINC DA SUPER LUA

Na segunda, decidi dar uma volta na feirinha ao lado de casa. Não faço feira, sou de supermercado, mas enfim… fui à feira. Entre legumes e frutas encontrei uma venda de pastéis e caldo de cana. Precisava descansar minha cabeça e olhar para as pessoas e o mundo como espectador, dar tempo ao tempo e senti que estar ali naquele local, sem ter planejado nada, era o refresco ansiado. Sentei no banquinho de plástico e comi meu pastel às 10 da manhã, não me preocupei com óleo de fritura e afins: só desfrutei felicidade… Poderia ter comprado produto mais saudável, mas pastelzinho e caninha salvaram a minha linda manhã. A parada foi frutífera: quando chego em casa ligo a  TV e vejo uma repórter entrevistando pessoas na mesma feirinha,  na qual fui pela primeira vez – tudo sincronizado!

Na sexta, fui resolver minhas coisas na rua e no final da tarde desviei o curso e  segui para outro bairro. Gosto de olhar as pessoas, para imaginar o que pensam, ver grandezas e pequenezas em seus rostos e gestos, gosto de ver as casas, os prédios, ver crianças correndo, idosos caminhando lentamente, gente de verdade e não os botoxs da TV.

No final da tarde, entrei em uma das igrejas nas quais gosto de meditar.  Assimq eu em sentei, o padre falou:
– São 18 horas
Pensei: “Ora, hoje é dia 18! Estava na igreja às 18 do dia 18”.

Sorri e feliz, meditei.

Nesses momentos, mais necessariamente às sextas e sábados de manhã, costumo meditar para retirar o peso extra dos meus ombros e botar para correr as energias negativas. Sempre dá certo: saio da meditação leve, quase volitando.

 

Super Lua

Já estava anoitecendo e decidi molhar meus pés nas águas do mar. Olhei para o céu e havia uma lua cheia brilhante, gigante, linda. Abri meus braços e agradeci pela vida, pelas decisões corretas e pedi luz, muita luz, a luz da lua, a luz do sol.

Em casa, recebo este e-mail sobre a lua e a data em questão. Tudo absolutamente sincronizado:

“O mundo está prestes a presenciar a aparição da maior lua cheia das duas últimas décadas. Na semana que vem este satélite natural vai chegar ao ponto mais próximo da Terra.

No dia 19 de março, a lua cheia vai aparecer mais exuberante do que o usual na noite celeste quando ela atinge o ponto máximo de um ciclo, conhecido como ‘Perigeu Lunar’.

É esperado um espetáculo visual quando a lua se aproximará da Terra a uma distância de 221,567 milhas da órbita – chegará mais próxima do nosso planeta desde 1992.

A lua cheia poderá aparecer no céu 14% maior e 30% mais luminosa, especialmente quando nascer no horizonte do oriente ao pôr-do-sol ou em condições atmosféricas bem favoráveis.

Este fenômeno é reportado como o mais relevante assunto sobre ‘supermoons’ que esta conectado com fenômenos geológicos (vulcões e terremotos ). A última vez que a lua passou tão próxima da Terra foi no dia 10 de janeiro de 2005, nos dias próximos dos terremotos na Indonésia que registrou 9.0 na escala Richter.

O furacão Katrina em 2005 também foi associado com a lua cheia incomum.

Previsões de ‘supermoons’ aconteceram em 1955, 1974 e 1992 – cada um destes anos tivemos a experiência de fortes manifestações climáticas”.

Anúncios