AQUARIUS

aquarius

Aquarius é o novo filme do meu “novo” diretor favorito, o recifense Kleber Mendonça Filho. Cercado de polêmicas, até mesmo em função do momento político, suas incansáveis 2 horas e meia de projeção exibem um dos mais profundos retratos já feitos sobre o Brasil. De sempre e o atual.

Há 3 anos, assisti ao meu primeiro Mendonça: O Som Ao Redor. Um dos meus filmes brasileiros favoritos. O diretor de Recife toca em assuntos delicados aos patrícios: a mal resolvida questão escravocrata, o clientelismo, o poder das oligarquias, uma secular hipocrisia familiar e a luta de classes. Mesmo espinhosos os assuntos são tratados com tanta maestria que até sincronicidades suscitam.

A única menção ao roteiro, que precisa ser feita, é que a escritora e crítica musical Clara (Sonia Braga, maravilhosa) reside no antigo edifício Aquarius na orla de Boa Viagem. A moradora é assediada para vender o imóvel com argumentos conhecidos:  receber mais do que vale o apartamento para viver em um outro novinho em folha com segurança, porteiro, academia, piscina.

Especulação imobiliária, gentrificação.

Clara se recusa a vender. Ela pensa, por que abrir mão da história de sua vida, de suas memórias, do espaço físico onde os filhos foram criados, dos seus móveis, das dezenas de álbuns de fotografias, de seus antigos LPs, etc… ?

Tendo dito um não à construtora, tem início o martírio pessoal de Clara, a cada dia mais pressionada e isolada.

AQUARIUS-de-Kleber-Mendonça-Filho-678x381

Seria apenas teimosia e apego não se desfazer do imóvel ou é nosso direito viver de uma maneira aparentemente não prática em um mundo onde todos são práticos? Onde o Deus dinheiro reina e pode tudo? As vantagens que nos oferecem são realmente vantagens? É melhor para o indivíduo se perder na multidão e ser igual a todo mundo? Seria um melhor profissional por ter um diploma ou por ter estudado no exterior?

Aqui reside a grande questão do filme e também do por quê eu ter escrito sobre ele em um blog sincronístico.

Não vou a uma exibição esperando encontrar respostas para a minha vida mas geralmente é o que ocorre, como que me dizendo siga em frente, nada tema, tá na boa. Ambas as profissões de Clara são ou foram as minhas, escritor e crítico musical e ao entrar na sala escura eu não sabia disso pois evito ler resenhas sobre filmes antes de assisti-los. Durante uma entrevista que Clara dá a um jornal local fica clara a distância entre o mundo profundo da entrevistada e os rasos comentários da repórter e da fotógrafa. Nesse momento, Clara comete duas sincronicidades em pleno filme: cita o disco Double Fantasy, o último de John Lennon antes de ser assassinado e relata uma baita história sincronística (que não posso contar) e puxa do meio de sua coleção o álbum de uma banda local dos anos setenta que poucos conhecem e sobre a qual eu havia escrito no dia anterior. Quando começo a duvidar, tipo deixa disso, é apenas “coincidência” surge na tela, durante um bom tempo, uma placa de carro com o dia e mês do meu aniversário, ocorrido há menos de uma semana. Aí me digo, pode parar e surge outra placa de carro com a data, dia e mês do aniversário do meu único irmão. Fora, as correlações sentimentais que fiz com o ambiente familiar retratado no filme, a doença, as separações, as mudanças, as “ingratidões”, a estocada final foi ter ouvido em alto e bom som (ao redor) o nome do bairro carioca onde faço um trabalho muito importante e de um próximo objetivo. Como se em um roteiro escrito há muito tempo estivessem falando sobre o meu momento atual e dizendo o que ainda acontecerá.

Fora a beleza do filme, fora as sincronicidades, a mensagem de Aquarius é ser forte.

Seja quem você é e aprenda diariamente com as suas escolhas. Aprenda com seus erros, não somos perfeitos, não seja intransigente, e nem seja burro. Mas seja você. Não se devote ao dinheiro, ao status, à hipnose coletiva. Encontre em seu âmago a sua verdade. Se for preciso lutar, lute. Se for preciso mudar, mude. Se te derrubarem, erga-se. Enfrente a mentira com a verdade. Não deixe que te deixem doente. Seja consciente. Não vilipendie a sua alma. Não se venda. Não ceda a chantagens. Não deixe que pisem em você. Não fuja da batalha se houver uma.

E persista acreditando que há sim heróis vivos.

Então, Viva!

286681

Anúncios

2 comentários em “AQUARIUS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s