Cachorro velava túmulo da dona

Essa sinc é uma daquelas que referendam o que você faz, que te dizem que você está em sintonia e que tudo está bem. A vida é assim: enquanto uns choram, outros riem, conforme famosa música de Tim Maia.

Estou escrevendo um livro. Decidi chamar um personagem de muriqui, um macaco vegetariano. Enquanto escrevia, foi exibida na TV uma matéria sobre muriquis. Hoje, terminei o livro e na TV vi o caso do cachorro, um vira-latas que não saiu do lado do túmulo da dona. Caramelo é o nome do cão. Um personagem do meu livro se chama Caramelo e é um cão vira-latas, que luta contra o muriqui. Na cruz, a soma de 3 mais 5 dá 8, número que me acompanha e o mês em que nasci.

Tudo está conectado: onde há dor, há esperança, onde há trevas, há luz, onde há inspiração, há sofrimento. Partes do todo.

Reproduzo matéria do jornal:

CACHORRO que velava túmulo da dona é resgatado em Teresópolis

(Fonte Jornal Extra)

A Comissão Especial de Proteção Animal da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) conseguiu resgatar na sexta-feira um cachorro que estava a dias ao lado do túmulo de sua dona, Cristina Maria Cesário Santana, morta em decorrência das fortes chuvas que atingiram a Região Serrana do Rio.

Caramelo, como o vira-lata foi apelidado pelos moradores, estava perambulando pelas ruas do bairro Caleme, um dos mais atingidos pelo temporal, quando foi encontrado.

Segundo a veterinária Andrea Lambert, membro da comissão, Caramelo estava sem ferimentos, mas muito assustado. A equipe teve que colocar uma focinheira no animal para conseguir dominá-lo.

– Geralmente nem colocamos a focinheira, mas ele estava tentando morder. O animal normalmente fica assustado, mas conseguimos fazê-lo andar. Já ele ficou pulando, girando, não queria sair dali. Os moradores nos contaram que ele ficava cavando o local onde a dona foi enterrada – relatou Andrea.

A equipe da comissão, formada por oito pessoas, já resgatou mais de 180 animais em Teresópolis e em Petrópolis com a ajuda do Instituto Estadual do Ambiente e de ONGs. Os animais foram levados para um galpão no bairro Melbon, que está servindo como abrigo em Teresópolis, e para um Ciep, em Itaipava.

– Fizemos um esforço grande para que os animais também fossem colocados em situação de resgate, de esforço, porque no início ninguém estava se preocupando – alertou Andrea.

Segundo o presidente da comissão, deputado André Lazaroni, os animais que não forem recolhidos pelos donos nos abrigos serão colocados para adoção:

– Os animais estão sendo cuidados para que, passado tudo, os donos voltem para recolher seus animais. Os que não forem reclamados serão encaminhados para a adoção.

Na segunda-feira, a comissão vai resgatar animais em Nova Friburgo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s